quinta-feira, 25 de junho de 2009

"Debaixo da fiscalização e administração econômica de cidadãos honrados"

A segunda seção da Província começava a leste da Estrada do Comércio, ao sul da fronteira com Minas Gerais. Estendia-se até a baía de Niterói e ao rio Macacu. Compreendia os municípios de Magé, Paraíba e partes de Iguaçu, Vassouras e Valença. Estava sob a responsabilidade do engenheiro Júlio Koeler.

As obras em curso ou sugeridas são a pavimentação da Estrada da Estrela; a sinalização da entrada do rio Estrela; reparos da ponte sobre o Paraibuna (financiada com dinheiro do governo geral) e o conserto da estrada de Mar de Hespanha. O Relatório faz planos ambiciosos para uma nova ponte sobre o rio Paraíba. (pág 57).

A terceira seção tinha por limites a fronteira com Minas Gerais, o rio Macacu e os municípios de Niterói e Maricá. Compreendia os extremos de Nova Friburgo, Cantagalo e Itaboraí e mais o de Macacu. O engenheiro Carlos Rivière era seu chefe.

As principais obras eram os consertos na estrada de Cantagalo, a ponte do Casseribu, a estrada do Tipoda, em São Francisco de Sá, o canal entre os rios Macacu e Casseribu.

A quarta seção era definida pelas fronteiras com Minas e Espírito Santo, pelo oceano e pela terceira seção. Era composta pelos municípios de Maricá, Cabo Frio, Macaé, Campos e São João da Barra. Seu chefe era outro célebre engenheiro militar: Henrique Luiz de Niemeyer Bellegarde.

O relatório menciona as obras do Canal do Nogueira, ligando os rios Macaé e Paraíba, uma impressionante obra de engenharia fluvial; a muralha de contenção do rio Paraíba em Campos (parte dela ainda existe); a abertura dos baixios da Lagoa de Araruama (renovada ainda em 2008-2009 pelo governo Sérgio Cabral Filho); o canal entre a Valla das Cacimbas e a Lagoa de Macahu (em São João da Barra) e, por fim, uma nota especial para o projeto da ponte de ferro sobre o canal do Itajuru, em Cabo Frio. Seria concluída apenas em 1898 e substuída em 1926, pela ponte de concreto que ainda lá está. Uma nova ponte foi construída apenas no século XXI.






Imagem: ponte sobre o rio Paraibuna. Jean Baptiste Arnout em Viagem Pitoresca através do Brasil. [1835]. Google Earth, mesma locação, fronteira Minas-Rio

Nenhum comentário:

Postar um comentário